sábado, 5 de fevereiro de 2011

ANJINHO

Faço as minhas interrogações
Quem vejo? Meu anjinho de cara suja
Porque me chama?
Num fim de uma tarde
Tenho você para conversar
E á noite
Se transforma no meu amor,
Trazida na hora,
Me enche a vida de sonhos,
Que trazem à tona a saudade
De um tempo que foi ontem,
Nem tampouco existirá,
Alguém que me faça esquecer,
Meu anjinho de cara suja
Eu canto para todo o mundo,
Destes cantos, sem canto, da vida,
Esperando a esperança terminar
E o fim chegar
Meu Anjinho, eu vou te amar
Eu, você vamos acreditar
Nossas vidas aceitar
JRR

1 comentário:

Laura disse...

A Anjinho da Cara Suja...

acredito ainda no amor...
esse amor que nao tem fim...
por mais que a vida diga nao,
meu coraçao diz sim...
e aceito minha sentença...
voce, eu...
aceito a vida como ela determinar...
VW