sábado, 5 de fevereiro de 2011

INVASORA POEMAS

Ha muito tempo sei que minha vida sem você não tem sentido...
Quero para sempre sua boca beijar...
seus cabelos num toque acariciar....
Me perder em teu corpo....unido ao meu
Me envolver nas palavras desconexas do prazer
E na beleza da vida me perder totalmente em você....
quero sentir sua pele macia...
na hora do amor sentir que estamos plenas...
para unir nossos corpos e almas ...
num delírio mágico...
sem saber onde começa eu ou você...
nos misturarmos em carícias...
e sentir a beleza do amor total...
sem barreiras...
sem fronteiras...
sentir cada espaço teu...
à procura dos meus...
quero tocar tua magia...
e descobrir que o melhor mistério...
é aquele que eu e você NUNCA esquecemos...
e que querendo ou não ...
nos pertencemos...
na alma...
no desejo...
no amor...
Invasora/Marta Bittencourt
31/01/2011

ANJINHO

Faço as minhas interrogações
Quem vejo? Meu anjinho de cara suja
Porque me chama?
Num fim de uma tarde
Tenho você para conversar
E á noite
Se transforma no meu amor,
Trazida na hora,
Me enche a vida de sonhos,
Que trazem à tona a saudade
De um tempo que foi ontem,
Nem tampouco existirá,
Alguém que me faça esquecer,
Meu anjinho de cara suja
Eu canto para todo o mundo,
Destes cantos, sem canto, da vida,
Esperando a esperança terminar
E o fim chegar
Meu Anjinho, eu vou te amar
Eu, você vamos acreditar
Nossas vidas aceitar
JRR
Sou Romantica Sim,
e Também um Pouco
Realista,...
Não Posso me Perder
Sendo apenas Romantica...
Tenho que Ter os Pés no
Chão...

(Renata Mangeon)

MENTIRA

A mentira se confronta com o medo
Do medo que invade a mente
De tudo que nos resta
Meu, seu de nós,
De sabermos a verdade
Com transparência
Com verdade, rigor no ser e, no estar
A mentira dá jeito
A mentira salvaguarda
Em qualquer situação
Só que a mentira tem pernas curtas
Nas incertezas nas duvidas e até crises
De histeria, mentiras piedosas
Umas prejudicam
Outras são inócuas
Outras são atrozes e até cruéis
Há quem viva em mentira permanente
Não entra aqui neste perfil
Que é Sensual
Mas não admite a mentira
João rr